Notícias

7 fatos e frases da primeira semana de novembro que resumem a economia e o mercado

Juros em queda no Brasil e em alta nos EUA. Semana ainda teve meta fiscal na corda bamba, recuperação judicial do Starbucks e dicas de finanças direto da Terra Indígena Wawi

Real e dólar. Foto: Adobe Stock
Relembre, a seguir, os principais fatos e frases que marcaram a e economia do Brasil e do Mundo na semana. Foto: Adobe Stock

A semana foi curta, mas movimentada na economia mundial e no mercado. As projeções se confirmaram com a Selic sendo reduzida para em 12,25% e os juros nos Estados Unidos estagnados no maior valor em duas décadas.

As discussões em torno de uma mudança na meta de déficit zero nas contas públicas em 2024 se intensificaram.

No cenário empresarial, a Justiça não aceitou o pedido de urgência para a recuperação judicial da SouthRock Capital, que opera importantes marcas de alimentos no país, como a rede de cafeteria Starbucks.

Nas finanças, contamos a história do indígena Kambrinti Khisêtjê, que cuida das contas da comunidade em que mora em Querência, no Mato Grosso. Nos investimentos, falamos de reinvestimentos em renda fixa e 13º salário.

Relembre, a seguir, os principais fatos e frases que marcaram a semana:

1) “OS MEMBROS DO COMITÊ, UNANIMEMENTE, ANTEVEEM REDUÇÃO DE MESMA MAGNITUDE NAS PRÓXIMAS REUNIÕES” (trecho do comunicado – Copom)

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) voltou a reduzir a taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual. A Selic agora está em 12,25% ao ano. Além de unânime a decisão trouxe a perspectiva de um novo corte no próximo encontro.

Diante desse resultado já esperado pelo mercado, o Brasil voltou a ter a maior taxa de juros reais do mundo. Segundo levantamento do MoneYou, a taxa real está em 6,90%, seguida do México, com 6,89%.

No comunicado publicado após o encontro, o Comitê mostrou preocupação com o cenário internacional, diante da alta dos juros de longo prazo nos Estados Unidos, da inflação elevada em vários países e de tensões geopolíticas.

Os membros do Copom voltaram a enfatizar a necessidade de perseguir as metas fiscais já estabelecidas, em uma semana marcada pelo embate em torno da meta para as contas públicas em 2024. (ver mais abaixo)

A Selic influencia todas as taxas de juros do país – como as cobradas em empréstimos, financiamentos e até as de retorno sobre aplicações financeiras. Apesar da queda na última reunião, especialistas avaliam que os investimentos em renda fixa seguem atrativos.

2) “A EVIDÊNCIA DE QUE O CRESCIMENTO SEGUE PERSISTENTE PODE COLOCAR EM RISCO NOVOS PROGRESSOS NA INFLAÇÃO E JUSTIFICAR UM MAIOR APERTO NA POLÍTICA MONETÁRIA.” (Jerome Powell, presidente do Federal Reserve)

Nos Estados Unidos, o Federal Reserve (Fed) manteve as taxas de juros no intervalo entre 5,50% e 5,75%. Esse é o maior patamar em 22 anos. Apesar da manutenção, o BC americano indicou que pode voltar a subir os juros, diante de uma economia resiliente.

O presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que o comitê não está confiante de que a inflação está no caminho da meta de 2%. O dirigente disse ainda que não vê mais uma recessão na maior economia do mundo.

Na semana que passou, os dados de emprego mostraram que a economia americana criou 150 mil vagas em outubro, abaixo do esperado pelo mercado. Essa desaceleração já é reflexo dos juros em patamares elevados.

Diante das taxas em queda no Brasil e altas nos Estados Unidos, muitos investidores têm aplicado na renda fixa norte-americana. Com mais dólares saindo do país, o real se desvaloriza, o que pode pressionar a inflação.

3) “O MEU PAPEL É BUSCAR O EQUILÍBRIO FISCAL, FAREI ISSO ENQUANTO ESTIVER NO CARGO”. (Fernando Haddad, ministro da Fazenda)

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, passou os últimos sete dias com o discurso de que o governo vai zerar o déficit das contas públicas em 2024. No entanto, se tornou cada vez mais forte a indicação de uma alteração da meta fiscal.

Na próxima semana, a Junta de Execução Orçamentária se reúne para discutir a mudança. O governo deve enviar ao Congresso uma mensagem para mudar a meta, após o próprio presidente Lula declarar que “dificilmente” ela vai se concretizar.

Enquanto isso, o governo se empenha para tentar aprovar no Congresso medidas para aumentar a arrecadação, como a tributação sobre fundos exclusivos e offshores e o fim da autorização para empresas a abaterem impostos sobre determinados incentivos fiscais dados por estados.

Em meio a essas discussões, o presidente Lula indiretamente voltou a atacar a meta fiscal ao afirmar que ‘dinheiro bom é dinheiro transformado em obra’.

Em relação à Reforma Tributária, Haddad admitiu que as novas exceções de benefícios incluídas pelo relator no Senado, Eduardo Braga (MDB-AM), elevam a alíquota padrão do futuro imposto sobre valor agregado para até 27,5%.

4) DESEMPREGO CAI PUXADO POR MAIS VAGAS FORMAIS E MENOS BRASILEIROS EM BUSCA DE TRABALHO

O mercado de trabalho melhorou no 3º trimestre com o aumento do emprego com carteira assinada e o recorde de brasileiros ocupados. A menor busca por trabalho também ajudou a reduzir a taxa de desemprego para 7,7%, valor mais baixo desde fevereiro de 2015, segundo a PNAD, divulgada pelo IBGE.

O número de trabalhadores no país atingiu 99,8 milhões, com crescimento de 1,6% no emprego formal entre julho e setembro, em relação ao trimestre anterior. A melhora do emprego com carteira também ajudou no aumento da renda média do trabalho para R$ 2.982.

O Ministério do Trabalho também divulgou dados sobre o mercado de trabalho formal, esses não tão positivos. Segundo o Caged, o país abriu 211,76 mil empregos com carteira assinada em setembro – recuo de 23,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Na semana ainda tivemos os dados da produção industrial, que cresceu 0,1% em setembro ante agosto. Os juros em patamares elevados são um fator importante para explicar estabilidade da indústria em 2023.

5) RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA SOUTHROCK CAPITAL, CONTROLADORA DA STARBUCKS

No noticiário empresarial, a Justiça de São Paulo não aceitou a urgência no pedido de recuperação judicial da SouthRock Capital, que opera importantes marcas de alimentos no Brasil, entre elas a rede de cafeteria Starbucks.

Com 187 lojas próprias, a gestora tenta manter a operação da rede americana em solo brasileiro. Segundo a SouthRock, as negociações com Starbucks Coffee International Inc, detentora dos direitos, foram suspensas e a licença perdida.

Em meio a essa crise no Brasil, a Starbucks anunciou uma receita líquida global recorde de US$ 9,4 bilhões no 4º trimestre fiscal (terminado em 1º de outubro), alta de 11% em relação a igual período de 2022. As vendas saltaram 8% na mesma base de comparação, acima da estimativa de 6,3%.

6) PLANEJAMENTO FINANCEIRO: VIAGEM AO MÉXICO OU MUDANÇA PARA OS ESTADOS UNIDOS?

Para viajar de férias ou se mudar para outro país, é preciso planejamento.

No Feriado de Finados, o B3 Bora Investir fez as contas de quanto custa ir ao México acompanhar o tradicional Dia dos Mortos. A festa foi declarada pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Segundo levantamento do site Quanto Custa Viajar, uma visita de dez dias para a Cidade do México custa em torno de R$ 6.800 por pessoa. Claro que esses valores mudam a depender da hospedagem e passeios escolhidos.

Para economizar, existem várias plataformas para comparar preços de hospedagem, que podem ajudar na hora de encontrar a melhor opção para sua viagem. Fizemos uma lista dos quatro comparadores de valores mais populares do país.

Para quem pretende se programar para viajar no fim do ano, é tempo de se planejar. “Sempre é tempo, principalmente para aqueles que deixam para em cima da hora”, afirma Ricardo Teixeira, coordenador do MBA de Gestão Financeira da FGV.

De viagem para mudança. Discutimos tudo o que você precisa saber para realizar o sonho de morar nos Estados Unidos. De acordo com o Itamaraty, dos 4,5 milhões de brasileiros que vivem fora do país, cerca de 1,9 milhão estão em terras norte-americanas.

7) FINANÇAS NA ALDEIA E AS DICAS PRECIOSAS DO BORA PARA INVESTIR MELHOR

Em uma reportagem especial, o B3 Bora Investir contou a história do indígena Kambrinti Khisêtjê, que cuida das finanças da comunidade que vive na Terra Indígena Wawi, em Querência, no interior de Mato Grosso.

Nos investimentos, muitos brasileiros têm dúvidas de onde reinvestir quando seu título de renda fixa vence. Especialistas mostram boas oportunidades em títulos do tipo IPCA +, aqueles que pagam a variação da inflação mais uma taxa prefixada.

Que tal um investimento em CDB que se transforma em mais limite no cartão? Parece impossível, mas essa modalidade já existe e vem se tornando mais popular. O objetivo é reduzir a inadimplência. Assim o não pagamento da fatura abre a possibilidade do resgate compulsório do investimento para honrar a dívida.

Na renda variável, o Bora publicou a agenda de dividendos para novembro, com pagamentos feitos pela Petrobras e Caixa Seguridade. A Localiza e a Klabin distribuem Juros sobre Capital Próprio (JCP).

13º salário chegou, e agora? “Tudo que a gente recebe extra, já deveríamos usar para o futuro. Para todos nós, no futuro, vão acontecer emergências, a gente vai ter problemas. Então, precisamos reservar dinheiro para essas situações”, afirma o professor de finanças Leandro Benincá.

Quer saber mais sobre investimentos e finanças? Acesse os conteúdos gratuitos do Hub de Educação Financeira da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias